sábado, 26 de maio de 2018

[Resenha] O Clube de Boxe de Berlim - Robert Sharenow


Ficha técnica:

Livro: O Clube de Boxe de Berlim
Paginas: 384
Autor: Robert Sharenow
Ano: 2013
Editora: Rocco
Selo: Jovens Leitores



Nunca esquecerei a sensação desse soco, quando meu punho se conectou com sua carne exposta e ela cedeu apenas um pouco. muitas vezes eu ouvira falar sobre a ‘conexão’ do soco com o alvo, e finalmente entendi o que isso queria dizer. O soco tinha massa e peso, e uma maravilhosa vibração elétrica desceu pela minha mão e por todo meu copo quando senti seus músculos se retesarem.”


Esse é um dos meus livros preferidos, se não o melhor, e acho que por isso, eu demorei um pouco para escrever a resenha dele, porque não é um livro fácil de falar, você é inundado de vários sentimentos bons e ruins, visto que ele foi baseado em uma algo real que você conhece dos livros de historia, o período nazista na Alemanha, liderado por Hitler.

Nos acompanhamos a vida do jovem judeu Karl Stern, em meio ao começo da era nazista, onde os judeus estão sendo perseguidos, mas para ele que nunca se considerou um “judeu”, visto que não tinha a aparência de um, até conseguiu passar despercebido na sua escola se não fosse a “juventude Hitlerista” lhe abordar no corredor e abaixar suas calças...

Karl sempre foi um artista, inclusive ele vive criando historias em quadrinhos inspiradas nas tirinhas de Winzing und Spatz, para divertir sua irmã mais nova Hildy, mas ele teve que entrar de cabeça no mundo do boxe para aprender a se defender tanto na escola como nas ruas, que ficavam mais perigosas a cada dia.

A primeira e mais difícil lição para jovens boxeadores é aprender a receber um murro. Se você não dominar essa habilidade, nunca terá sucesso no ringue. Mesmo os maiores campeões precisão absorver incontáveis golpes.” – Fundamentos de boxe para garotos alemães.

A ideia surgiu de um acordo entre o seu pai e o campeão de boxe e herói alemão, Max Schmeling, treinar Karl no clube de Boxe de Berlim, isso seria o começo do amadurecimento dele, tanto por estar aceitando a realidade nazista como também querer ter um futuro no boxe – só que o começo não é aquele ‘’mar de rosas’’, embora seja bem empolgante ver o treinamento dele, com certeza é uma das melhores partes do livro.

No decorrer, vamos notando aos poucos como o nazismo está ganhando espaço na Alemanha, quando Karl é expulso da escola, judeus não podem frequentar certos locais, ou seja, praticamente não podem mais fazer nada. E com isso, acompanhamos como a família de Karl vai lidar com isso, e o garoto sabe que a única pessoa que pode ajudar ele é Max, mas que agora é visto frequentemente com a elite nazista, então o que ele deve fazer?

Ps: Max Schmeling, existiu de verdade, inclusive essa historia foi inspirada em dois irmãos que ele salvou da Alemanha nazista.

Resumindo...

Karl é um personagem incrível, e adorei conhecer sua historia, assim como a sua família, como ele teve que se manter forte no meio da crise e encontrou um escape da realidade no boxe, o que foi o suficiente? Não sei te dizer ao certo, isso é você que decide, afinal, o nazismo era tão opressor que acabava tirando tudo dos judeus... Essa nova versão do Holocausto foi bem vinda, porque nos mostra como foi a mudança na vida de Karl a cada dia, como suas preocupações de adolescentes foi mudando para a se sobreviveria mais um dia, com isso você percebe que pode ser algo pesado, mas que era a realidade para muitos na Segunda Guerra Mundial, o que torna o livro mais real. Enfim, o livro é incrível e recomendo a leitura para todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 renata massa