quinta-feira, 19 de novembro de 2020

[Resenha] Sakamichi no Apollon Vol.9 (Cap. 41 ao 405)


Ficha técnica:

Manga: Sakamichi no Apollon
Volume: #9
Paginas: 189
Ano: 2011
Mangaka: Yuri Kodama
Editora: Flowers Comics






Finalmente cheguei ao último volume!!!

As coisas acabaram se tornancdo bem intensas nos últimos capitulos, principalmente pela partida inesperada do Sentaro, isso deixou todos bem tristes, inclusive o seu pai que ele achava não gostar dele - agora imagina o Kaouro e a Ritsuko?

O Kaoro vai estar desesperado procurando seu melhor amigo, principalmente quando ele descobre o real motivo dele ter fugido. O Sentaro está se sentindo culpado pelo acidente da sua irmã, porém, isso acabou acontecendo por uma certa chantagem que ela fez pra andar de moto com ele - e as consequencias acabaram nem sendo tão graves assim.


Por outro lado, o Sentaro não sabe disso, acha que a garota está em coma e a culpa é simplesmente dele e todos o odeiam, mas some isso ao fato dele sempre achar que não pertecem aquela familia, foi o impulso que ele precisava para sair de casa. Eu sei que isso pode soar duro, porém, ainda descobrimos coisas mais pesadas sobre o passado dele com o padre da igreja que ele frequentava.

Isso tudo vai acabar interferindo no relacionamento do Kaoro com a Ritsuko, eu não entendi bem o que ele quis fazer ao se distanciar dela, porque ele não tinha motivos pra isso, os dois estavam apaixonados e poderiam acabar se consolando um com o outro, entretanto, ele simplesmente corta ela da sua vida - foi um idiota.


Nessa parte a historia tem alguns avanços no tempo, com a formatura da escola e o ingresso deles na faculdade, mas iremos ver apenas pela visão do Kaoro.

Ele acabou indo estudar medicina em Toquio, como sua familia queria, fez novos "amigos" e, em um primeiro momento acaba sendo uma pessoa totalmente diferente, não apenas pelas suas companhias, "os caras das festas", como tentar constantemente esquecer o Sentaro, risca-lo da sua vida - algo impossivel.


Principalmente quando ele toca jazz novamente, isso é basicamente onde ele cai na real e volta a ser o Kaoro meio que o de antes. Ele entra pro clube de jazz da faculdade, começa a trocar cartas com a Ritsuko que está cursando pedagogia em uma universidade local, e se vê trabalhando em um bar como pianista - ah, ele também mantem um relacionamente bem proximo da sua mãe.

Porém, ele acaba percebendo que ele não toca mais como antes, não por estar enferrujado, não mesmo, mas por faltar algo/alguém, isso fica bem explicito quando ele encontra o Junichi - lembra que ele fugiu pra Toquio, com a Yurica? Então, os dois acabam tendo uma jazz sesion, o que vai ser bem nostagico.


Ah, nesse meio tempo, ele acabou parando de ser tão cabeça dura e começou a procurar pelo Sentaro, uma vez que Toquio seria o melhor local para ele ter ido "trabalhar" como musico. Eu não sei bem o que falar a partir daqui...

É um pouco complicado porque temos mais uns avanços na historia e acabamos finalmente descobrindo o que aconteceu com o Sentaro, não o que ele fez nesse tempo, o que é bem frustrante, mas onde ele tá e o que tá fazendo... Assim como o desfecho dos personagens secundarios.


Resumindo...

"Esse com toda certeza foi um dos melhores mangas que eu já li, serio, ele já está na minha lista de favoritos. Eu adorei como a historia se desenrolou e me surpreendia em varios momentos, um exemplo claro é esse final. Mas também a amizade do Kaoro e do Sentaro também foi muito bem desenvolvida e achei genial o modo como eles sempre conversavam atráves da música para fazerem as pazes ou entender que o outro não estava bem - depois disso você vai querer ter um melhor amigo como o Sentaro, eu quero."

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

[Resenha] Sakamichi no Apollon Vol.8 (Cap. 36 ao 40)


Ficha técnica:

Manga: Sakamichi no Apollon
Volume: #8
Paginas: 189
Ano: 2011
Mangaka: Yuri Kodama
Editora: Flowers Comics




Finalmente as coisas estavam indo bem para o Kaoru e o Sentaro, sem problemas com relacionamentos amorosos, apenas curtindo o bom e velho jazz no porão da casa da Ritsuko. Porém, as coisas também estavam mudando, afinal, os três estão no último ano escolar e tendo que se concentrar mais nos estudos, principalmente o Sentaro.

Pra começar, temos novamente o festival escolar se aproximando, e os dois estão bem animados para tocarem juntos dessa vez, principalmente para compensar o que ocorreu no outro ano, e quem sabe disputar com a The Olympus? Embora não tenha nem comparação, né?


Mas a banda do Seiji está com tudo dessa vez, inclusive preparados para qualquer imprevisto que possa ter, porém, é uma competição amistosa, visto que são todos amigos e ele nutre uma gratidão pelo Sentaro ter ajudado ele da outra vez.

Devo ressaltar que no final do outro volume, acabamos com a noticia que o pai adotivo do Sentaro estava voltando pra casa.. Eu sei que esse é um tema delicado e ele não tá preparado para falar sobre isso, embora tenha notado alguns sinais, assim como o Kaoru - ainda bem. Que irãço levar os dois a terem uma pequena briga - porrada.


Não me entenda errado, o Sentaro tem um pessado bem pesado que fomos descorbrindo aos poucos conforme a amizade entre os dois ia crescendo, mas o fato principal é ele ter descendencia americana e ser adotado, então ele não se sente que faz parte daquela familia, e o seu pai deixava isso bem explicito no passado - se não bastasse o preconceito que ele vivia na rua.

Ah, é complicado falar sobre isso!!!


Porque o Sentaro, embora veja a mudança positiva no comportamento do pai, de aceitação, ele ainda se sente inseguro com a presença dele lá, em um primeiro momento isso nem vai afetar tanto, principalmente pelo Kaoru está sempre o aconselhando a dar o seu melhor e ficar, só que as coisas acabam sendo imprevisiveis...

...Então não temos um controle total do que posssa acontecer em seguida, ou seja, essa vai ser uma leitura bem pesada, estejam cientes disso.


Por outro lado, pra descontrair um pouco, temos cenas bem legais entre o Kaoru, Sentaro e a Ritsuko, na escola e, é claro, no porão da casa dela, alias, iremos descobrir o talento dela para cantar! Isso mesmo, no finalzinho da historia, mas o que vale é a intenção e se vai agregar para a banda deles, melhor ainda.

Resumindo...

"Como falei acima, esse é um dos volumes mais pesados, não apenas pelo passado do Sentaro vindo a tona assim, confesso que isso me deixou bem pensativo como ele pode ter sofrido tanto sem ninguém para apoia-lo - eu sei que ele teve a Ritsuko, mas podemos ver que não é o mesmo caso do Kaoru, que ele se abre mais. Então, isso acaba deixando um clima de final? Não sei bem o que poderia dizer sem dar spoiler, mas é chocante como tudo acaba ocorrendo..."

sábado, 26 de setembro de 2020

[Resenha] Sakamichi no Apollon Vol.7 (Cap. 31 ao 35)


Ficha técnica:

Manga: Sakamichi no Apollon
Volume: #7
Paginas: 189
Ano: 2009
Mangaka: Yuri Kodama
Editora: Flowers Comics


Finamente as coisas estão voltando ao normal por aqui, na medida do possivel é claro, após o sucesso do festival escolar quando o Kaoru tocou com o Sentaro, as garotas ficaram completamente euforicas atrás deles, embora os dois já tivessem os seus corações entregues as suas amadas, mesmo não sendo correspondidos...

Aliás, agora que a Yurika fugiu com o Junichi e os dois foram morar em Toquio, para ele se dedicar mais ao seus projetos, ficamos na dúvida sobre o que poderia estar se passando com o Sentaro, né? Até mesmo após o seu coração ter se partido duas vezes.


Particularmente eu vi o amadurecimento dele entre esse volume e o anterior, na verdade, quem vai se preucupar mais será o Kaoru, até mesmo tomar frente nas brigas por ele - tô falando serio, eu mesmo nem acreditei quando vi a cena. Mas amizade é isso, um defendendo o outro, porém, isso não vai ser o foco por aqui.

Mas ainda teremos um certo romance, o.k?


Isso vai ficar por conta da Ritsku, ela finalmente colocou em ordem os seus sentimentos e esta apostando todas suas fichas no Kaoro, embora ainda seja um pouco confuso pra ele assimilar e demonstrar isso pra ele, vide o fora que ela deu nele dizendo que gostava do Sentaro - não dá pra esquecer isso rapido.

De qualquer maneira, o Sentaro já sacou isso e está fazendo o possivel para juntar os dois, na verdade ele vai ser o cupido nessa historia, e tem uma parte bem legal que ele leva os dois para a praia e da uma sumida e os dois passam o tempo todo procurando ele - e se aproximando também. Vocês não tem noção de como é o relacionamento deles, vai a passos de tartaruga, então acaba sendo um pouco frustrante até.


Ah, outra coisa que vai ser abordado é as notas do Sentaro...

O garoto está para reprovar e nem está preucupado... Isso nem é o pior de tudo, se ele repetir de ano, ele vai largar a escola para começar a trabalhar, o que deixa o Kaoru surtando ver alguém - no caso o seu melhor amigo - jogar o futuro pro alto. Assim, ele começa a "tentar" ensinar ele as materias com questionarios e resumos.


Já falei que o Sentaro não é muito de estudar, né? Então essa não vai ser uma tarefa facil.

Alias, falando em emprego, ele vai acabar arrumando um emprego de meio periodo fazendo entrega de bebidas em sua moto, sim, ele tem uma moto!!! Essa também vai ser uma das minhas partes favoritas quando o Kaoru descobre isso e ele o leva para dar uma volta e começa a cantarolar uma música.


É claro, embora o clima esteja bem agradavel entre os três amigos, diga-se de passagem uma gripe forte que o Kaoru vai pegar, o Sentaro vai ficar com muuuitas coisas na sua cabeça, principalmente com algumas coisa que estão acontecendo na sua casa.

Ps: quando estava lendo acabei pensando uma coisa, onde está a mãe da Ritsuko? Tipo, sempre vemos apenas o pai dela, mas ela nunca menciona a mãe, e, embora pais ausentes possam ocorrer - um exemplo é os do Kaoro e o pai do Sentaro que está fora a trabalho. Em nenhum momento é mencionado sobre a mãe dela, ou acabei perdendo esse dialogo?

Resumindo...

"Esse volume me lembrou bastante dos primeiros, quando as coisas eram mais simples e se resumiam aos momentos da amizade compartilhado pelos três. As cenas aqui são tão incriveis, leves e divertidas que fiquei indeciso em quais colocar na resenha, serio, foi uma decisão dificil, mas acabei exagerando até, porém, isso só mostra o tanto que tô gostando da historia e não quero que ela acabe - sem contar que o final do último capitulo deixou um apertozinho no coração."

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

[Resenha] Harry Potter e a Ordem da Fênix - J.K Rolwing


Ficha técnica:

Livro: A Odem da Fênix
Serie: Harry Potter
Volume: #5 de #7
Ano: 2013
Paginas: 703
Autora: J. K. Rowling
Editora: Rocco


"As coisas que perdemos acabam voltando para nós no final. Mesmo que nem sempre do modo como esperamos."


No quinto ano de Harry em Hogwarts, as coisas não são mais as mesmas, principalmente agora que Voldermot está de volta... Isso mesmo, o grande bruxo das trevas voltou no final do livro anterior e deixou as coisas mais sombrias, começando com Harry e o seu primo Duda sendo atacados por Dementadores no mundo trouxa – coisa quase impossível de acontecer, inclusive Harry vai depor no Ministerio da Magia sobre isso, no caso ele sendo culpado de inventar essa história absurda, correndo o risco de ser expulso da escola.

Aliás, iremos conhecer a Ordem da Fênix, um grupo criado por Dumbleodor, para impedir os avanços de Voldermot e combater seus Comensais da Morte, a sede fica na casa da família Black, e, não, não é bem como você imagina, é uma antiga casa velha com um elfo domestico (Monstro) bem velho que beira ao delírio pelos seus donos estarem mortos, ou quase, porque ele não gosta do Sirius.

Em todo caso, iremos ver os seus membros bastante, uma vez que se tornam a escolta de Harry para todos os lados, como também, Sirius estará mais presente, uma coisa que eu não gostei muito, porque ele vê o Harry como uma cópia para substituir o pai dele, entende? O que acaba forçando o garoto a tomar algumas decisões idiotas – ainda bem que temos Hermione para colocar juízo na cabeça dele.

Não me entenda errado, teremos algumas cenas dos Marotos no tempo de Hogwarts, onde veremos eles sendo bem idiotas com o Snape, e por nenhum motivo além do Tiago não gostar dele e o Sirius estar entediado... Ou seja, eles não tem um senso de certo e errado, e, mesmo que o Snape seja um escroto, ele não merecia a humilhação que passou – eles passaram do limite, e, é bem isso que o Sirius quer que o Harry se torne, quebrar regras e agir sem pensar nas consequências.

Mas focando em nosso trio principal...

Harry ainda não superou totalmente a morte do Cedrico e a volta do Voldermot, principalmente por quase ninguém acreditar nele, mesmo com o Dumbleodor do seu lado, o Ministro da Magia e o Profeta Diario insistem em ocultar os sinais e dizer que tudo está normal e o garoto é um baita de um mentiroso...

Já vou avisando que eu não gostei do Harry nesse livro, ele vive se lamentando e descontando a raiva no Rony e na Hermione, as únicas pessoas que estão do seu lado, sem mencionar um romance que ele vai ter com a Cho Chang, totalmente desnecessário, serio, é muito vergonha alheia ver aquilo. Eu sei que ele gostava dela faz um tempo, mas sério, ele não tem nenhum tato para garotas e acaba fazendo besteira.


Por outro lado, Hermione continua a se comunicar por carta com o Vitor Krum, porém, isso não é tão explorado aqui, mas teremos várias cenas dela tentando libertar os elfos domésticos da escola e surtando com a proximidade dos N.O.M, uma prova que define quais empregos você poderá tentar após a escola, já se especializando nos próximos anos em aulas especificas – como uma faculdade.

Já Rony, é o mais novo goleiro do time de quadribol da Grifinoria e acabei esquecendo de mencionar, ele e a Hermine são monitores nesse ano, assim como o Draco – sim, o Harry não foi escolhido e ele está put* com isso. Mas não esperem uma estreia dele tão incrível assim, pois as primeias partidas dele são bem vergonhosas.

Ah, nesse ano teremos uma nova professora de Defesa Contra as Artes das Trevas, Dolores Umbridge, ou simplesmente a pessoa mais odiada no universo de HP. Ela foi enviada pelo Ministério da Magia para colocar ordem Hogwarts e acabar com o burburinho de que um tal bruxo das trevas retornou, ela não mede esforçou para disciplinar os alunos, seja com poções da verdade ou simplesmente com tortura, ela vai ganhando poder conforme ela vai constatando irregularidades até ganhar um cargo de Inquisidora que pode até mesmo demitir os professores que ela não goste – Hagrid e a Trelawney são os mais cotados.

Ou seja, esse ano basicamente tudo que é divertido estará proibido por ela, inclusive teremos uma tretinha com os jogos de quadribol, onde o Harry será impedido de jogar juntamente com os gêmeos Wesley, esses por outro lado, estão mais preocupados em criar produtos novos para sua futura loja de logos.

Com relação ao Voldermot, Harry vai organizar na escola a Armada de Dumbleodor (AD), um grupo onde ele irá ensinar feitiços de proteção e azaração para os alunos se defenderem caso precisem no futuro, e também, alguns deles irão acabar indo para o campo de batalha quando Harry, vai para o Ministerio da Magia para tentar salvar o Sirius.

Para você entender melhor, Harry tem uma ligação com Voldermot que ele pode ver alguns pensamentos dele, assim como algumas visões do que ele está fazendo, e, em uma delas, ele viu o seu padrinho sendo torturado no ministério quando o Voldermot estava querendo pegar uma certa arma, assim, sem conseguir se comunicar com a Ordem da Feniz, Harry, Rony, Hermione, Gina, Nevile e Luna irão tentar impedir isso...

No geral é basicamente isso que acontece no livro.

“Essa foi uma resenha bem grande e olha que nem coloquei o quanto me senti frustrado ao ler esse livro. Esse com certeza foi o pior da série até agora, principalmente pelo Harry estar com raiva o tempo todo e não medir consequências dos seus atos, por outro lado, foi muito bom conhecer um pouco mais do Nevile e o que aconteceu com seus pais, ver o amadurecimento dos personagens na AD e conhecer a Luna, serio, essa é a melhor personagem que você vai ver.”

domingo, 30 de agosto de 2020

[Resenha] Sakamichi no Apollon Vol.6 (Cap. 27 ao 31)


Ficha técnica:

Manga: Sakamichi no Apollon
Volume: #6
Paginas: 189
Ano: 2009
Mangaka: Yuri Kodama
Editora: Flowers Comics


Nos volumes anteriores, as coisas acabaram se tornando bem agitadas com o Sentaro indo participar de uma outra banda, mas relaxem, tudo acabou dando certo no final e a amizade dele com o Kaoru permaneceu e eles voltaram para seus ensaios no porão da casa da Ritsuko.

Porém, tivemos um outro atrito que ainda vai ser resolvido aqui, lembra que o Sentaro estava apaixonado pela Yurika? Essa por sua vez continuo dando "corda' para ele nessa paixonite, enquanto isso ela já estava pensando em outro - na verdade eles até tiveram um caso -, o Junichi.... É, não é surpresa pra gente, mas pra ele, nossa! Isso vai acabar com a relação deles.


Entenda, o Sentaro sempre viu o Junichi como um irmão mais velho que ele seguia como exemplo, e ter a traição dele dessa maneira foi sufocante, por outro lado, o Junichi está com varias coisas na cabeça, como ter saido da faculdade em Toquio, para ingressar em movimentos politicos e ter sido expulso de casa - nada que justifique seus atos.

Mas, teremos um certo drama entre os dois e o Kaoru que vai intermediar tudo para tentar colocar juizo neles, principalmente no Sentaro.



Ah, preciso falar que os sentimentos de Ritsuko estão mudando com relação ao Kaoru, ela começa a sentir que está cada vez mais querendo estar com ele e não o tira da cabeça, será se está apaixonada? Mas e os sentimentso que ela tinha pelo Sentaro?

Eu preciso falar que ela tem sido a mais dramatica e seus surtos são um tanto desnecessarios durante a historia - poderiamos viver sem eles. Entretanto, eu fico feliz pelo Kaoru, mas até ele "sacar" essa mudança nas atitudes dela, acho que ainda vai demorar um pouco...


Uma coisa boa sobre esses dramas da Ritsuko é que teremos algumas memorias da infacia dela com o Sentaro, ela relembrando onde começou a gostar dele e o porque - na verdade, isso seria mais pela perspectiva do Sentaro.

Ps: preciso deixar registrado aqui uma das melhores partes que é quando o Senataro está com muita raiva do Junichi e ele não quer falar com o Kaoro sobre isso - ele também foi um idiota por não ter alertado o amigo sobre o que tava acontecendo , mas os dois acabam sempre se entendendo ao tocarem juntos.


Resumindo...

"Depois que a historia foi focando mais nos romances dos personagens, acabou mudando um pouco o cenario, inclusive deixando o jazz de lado. Eu sei que isso é algo necessario, afinal, eles são jovens e isso faz parte, mas eles acabaram pegando todo o tempo desse volume e do anterior, e, eu acho que poderia se aproveitado de outras maneiras, inclusive dando mais espaço para a amizade do Sentaro e do Kaoro."

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo