quarta-feira, 7 de março de 2018

[Resenha] Capitão America Steve Rogers #1 a #6


Ficha Técnica:

HQ: Capitão America Steve Rogers
Volume: #1
Paginas: 23 por edição
Ano: 2017
Autor: Nick Spencer e Jesus Saiz
Editora: Marvel Comics




Essa provavelmente é uma das historias em quadrinhos que os leitores estavam mais ansiosos para ler, eu mesmo estava muito. Quando foi anunciado que o Capitão América era um agente da H.I.D.R.A, foi algo impactante e não se falava em outra coisa se não sobre isso.

Mas como o garoto de ouro da Marvel,se tornou do “mau”? Ou ele sempre pertenceu ao dark side da força?

Esteve Rogers, continua com o seu papel como Capitão América, junto dos Vingadores, salvando pessoas, resgatando gatos de arvores, mas isso não é tudo. Ele foi recentemente trazido aos seus tempos de gloria pelo Kobic.


Bom, como falar isso de uma maneira simples? O Capitão teve uma luta como Caveira Vermelha, e no meio da batalha o kobic, um cubo cósmico de enorme poder (desconhecido) foi destruído e levado para S.H.I.L.D, para ser estudado, o que resultou nele se transformando em uma garota.

Agora já sobre essas edições, visto que da luta abaixo é de outro arco... O Kobic, está trabalhando com o Caveira Vermelha, e tendo planos de dominar o mundo, isso inclui ter trazido o Capitão para a H.I.D.R.A...


É claro que isso é o ponto alto da historia, mas em paralelo, acompanhamos também o passado do jovem Steve, quando ele era uma criança indefesa e vivia em com sua mãe que era constantemente espancada pelo seu pai, e teve como um raio de esperança, uma mulher de uma agencia secreta que está procurando tirar eles dessa “vida” (adivinham quem era?).

Agora vou falar sobre como o Capitão foi para a H.I.D.R.A, caso não queira pegar um spoiler, pule para o parágrafo seguinte...


O Kobic tem uma habilidade de mudar as memórias das pessoas, e, ela fez isso com o Steve. Eu sei, é algo meio surreal, mas aconteceu e ele acha mesmo que pertenceu a organização desde sua infância, e acompanhamos o desenrolar dessas memórias trocadas...


Só que durante alguns eventos o Capitão América, tem algumas pontas soltas que podem revelar sua verdadeira identidade, o que ia ser algo GRANDE. Mas ele vai ter que descobrir como agir como um agente duplo, mentindo diariamente para seus amigos, enfim, é algo complexo e que melhora muito por se passar durante os eventos da Guerra Civil II.

“Como posso definir as minhas emoções após ler esses volumes? É algo que acabou com minha imagem do Capitão América, de bom moço. É claro, nem tudo é culpa dele, mas suas ações mostram que uma parte do velho Steve ainda está lá, como quando ele precisa confrontar um amigo, e isso eu achei bem bolado, porque depois ele ainda pode ter uma crise de identidade? E talvez – espero – voltar ao seu eu normal.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 renata massa